Categorias: off-topic Por Bia Munstein

how-to-stop-panic-attacks-w(crédito da imagem)

Nossa nem acredito que já tem mais de dois anos que escrevi aquele post sobre medo de dirigir… é uma coisa que me parece tão recente… uma porque dia após dia recebo comentários na postagem com pessoas se identificando com o problema, outra porque de fato ainda não superei.

Mas escrevo esse segundo post não para falar da minha “não superação” e sim para contar que tive progressos! Esse ano decidi que seria o ano que eu ia dirigir e com a graça de Deus já tenho andado por aí de carro, embora sempre acompanhada pelo marido.

Ainda não foi um passo definitivo, mas foi um passo muito importante pra mim. É engraçado porque eu achava que o dia que estivesse indo e vindo dos lugares dirigindo tudo estaria resolvido, mas infelizmente descobri que não é bem assim que as coisas funcionam. O medo não vai embora automaticamente você tem que enfrentá-lo dia após dia, para que ele diminua até sumir por completo. O meu “corpo” já sabe dirigir, mas minha mente ainda acha que ele não é capaz.

Todas as vezes que pego o carro eu sinto medo, mas em todas as vezes eu vou com medo mesmo! E mesmo tentando fazer isso duas vezes na semana, sempre que sei que vou dirigir fico ansiosa, sinto medo, impotência, vontade de desistir, e o pior de tudo: sinto muita raiva de mim por ainda me sentir assim. Vontade de me chutar, sabe? De falar pra mim mesma: para com isso! Já chega! Pega esse carro e dirigi, para de frescura! Ah como eu queria poder me autossugestionar rs

Eu lembro quando cheguei na casa da minha mãe dirigindo pelo primeira vez ela me disse que estava muito feliz por mim. Pra mim foi um “você conseguiu” sem eu ter conseguido realmente. Eu cheguei lá, mas tudo que eu queria era não precisar fazê-lo novamente. E assim é em todo lugar que eu vou, eu chego, mas na minha cabeça só ficam os erros que cometi, o que poderia ter acontecido, o quanto eu não posso fazer aquilo novamente, enfim… uma cobrança acirrada e sem fim! Tudo coisa da nossa cabeça, nós sabemos, mas como tirar isso de lá? Isso ninguém ensina, porque é um caminho individual.

Mas o básico eu já aprendi: treinar e não desistir. Se permitir errar também é muito importante. Uma vez eu li que: “se sabemos que aprendemos com nossos erros, porque temos tanto medo de errar?”. E isso fez muito sentido pra mim.

Se eu pudesse te deixar uma mensagem, uma que repito sempre para mim mesma, é: que a capacidade já está em você! Você só precisa aceitar.

 

Mas vamos falar de coisa boa? Eu não quero fazer parecer propaganda (como depois dessa frase?? rs), mas preciso compartilhar com vocês como eu consegui dar esse passo tão importante de conseguir ir e vir dos lugares, mesmo que acompanhada, e como pela primeira vez em 8 anos eu me sinto realmente próxima de ser uma condutora independente.

Eu fiz um pacote de 6 aulas com uma auto escola de treinamento para habilitados. Hoje isso tem se tornado muito comum, e com certeza deve haver alguma na sua cidade. Aqui em Petrópolis eu fiz com o S.O.S direção (instrutor Leandro).

O bacana é ter um instrutor que sabe que você tem MEDO, aliás ele esta ali não para lhe ensinar a dirigir propriamente dito, mas para te ensinar a ter confiança em você mesma. E posso falar com certeza que pra mim foi decisivo!

Ao longo de todos esses anos com carteira eu fiz trocentas aulas avulsas, em auto escolas comuns e nenhuma nunca resolveu. Gastava uma fortuna e desistia, perdendo todo o investimento.

Dessa vez eu fiz umas 12 aulas (duas por vez, totalizando 6 sessões), e me lembro que o momento mais emocionante foi na ultima aula quando ele disse:  “me deixa aqui e faz o mesmo trajeto sozinha!”. O primeiro impulso foi falar “eu não consigo” (e achar que ele estava louco rs), mas assim que ele me convenceu foi realmente libertador!  Eu estava dirigindo sozinha!! Foi lindo <3 

Pra falar a verdade eu não queria parar de fazer as aulas, mas chegou um ponto que comecei a ficar segura somente dirigindo com o instrutor, o que também não é ideal, então achei melhor parar e começar dirigir com meu marido. Afinal a vida real não fica todo tempo te incentivando e dizendo que você consegue, ela te critica, mostra seus erros e até tenta te desanimar. A gente também precisa desse ambiente real pra finalmente dizer “eu consegui”. (marido vai me matar haha ele me ajuda gente, mas do jeito dele. Aquela coisa tipo: “tu viu o que tu fez né?” kkk)

 

Bom, texto longuíssimo pra dizer que estamos aí! O jogo não terminou, mas passamos de fase. 😉

 


Mantra pra vida que li no site de onde peguei a foto:

“Eu sou um motorista competente e sempre chego ao meu destino com segurança”

 

 



Artigos Relacionados

Isabela

26 de Abril de 2016 - 9:48

Bia! Eu também tinha esse medo e sabe como eu resolvi? Quando meu pai comprou um carro automático. É demais, você só acelera e breca e não tem aquele medo do carro ‘morrer’ na subida. Depois que perdi o medo com ele, comecei a dirigir qualquer carro, pois como você mesma disse, o meu corpo já sabia dirigir. O carro automático me fez perder o medo do trânsito que antes eu tinha. Tente, para mim deu SUPER certo! Beijos!

Bia Munstein

27 de Abril de 2016 - 10:28

to aqui pensando seriamente nisso rs
beijos

Flavia Maria Ratis

26 de Abril de 2016 - 9:37

Quando comecei a dirigir foi assim, tbm, porém tive que dirigir na marra, pois, meu marido não dirigi, então sou eu que tenho que ir para todos os lugares. Tive algumas aulas com um professor maravilhoso e depois meu querido pai foi decisivo para mim, ele era muito paciente comigo. Meu marido, tbm, confiou de primeira em mim, então comecei a dirigir e hoje, embora não goste de dirigir, dirijo com desenvoltura, neste transito do RJ. Bjs e espero que vc supere tudo isso.

Bia Munstein

27 de Abril de 2016 - 10:28

obrigada!! e parabens né rs 🙂
beijos

Edilene

26 de Abril de 2016 - 9:35

Me identifico muito com a parte do MARIDO AJUDA… kkkkkkk
Eles tem até boa vontade mas o tom que automaticamente eles usam já nos travam né?! rs
Bjs e boa sorte pra gente!!!

Bia Munstein

27 de Abril de 2016 - 10:39

a gente trava geral!! rs bjos

Paola Paloma

26 de Abril de 2016 - 9:07

Com certeza Bia, vc é capaz disso e muito mais…persista, insista, é libertador…falo isso embora nunca tenha tido medo…pelo contrário sempre quis dirigir,tenho carteira há 12 anos e amo pegar o carro e sair…me sinto livre…mas falo pelas dificuldades da vida mesmo, a gente tem que acreditar na gente..podemos tudo. Bjosss

Bia Munstein

27 de Abril de 2016 - 10:40

se a gente não acredita na gente como os outros vão acreditar né? é verdade mesmo

Patrícia

26 de Abril de 2016 - 8:50

Bia, o mais importante, sem dúvida, é não ter medo de errar.E nem se importar muito se as pessoas vão achar que você está devagar demais, demorando demais pra passar no cruzamento ou fazer a baliza, etc…
Faça o que você consegue fazer de uma maneira que você se sinta segura.
Eu sempre tenho muito medo quando dirijo o carro da empresa, todo mundo tira sarro de mim que eu sou lerda e tal, mas quer saber? Eu estou fazendo o que eu sei e do jeito que eu me sinto segura. Ponto.
Minha dica pra você, e que funcionou MUITO pra mim é: dirija sozinha. Você vai fazer suas cagadas, o carro vai morrer, você vai se desesperar, etc… Mas se tiver alguém com você (o marido, por exemplo), você passa o carro pra ele e não aprende a resolver os problemas que aparecem. Sério, me ajudou MUITO.
Outra coisa que também me ajudou foi sair de casa com o trajeto já na minha cabeça, então eu já mudava de faixa com antecedência, evitava passar naqueles viadutos, cruzamentos ou outros locais em que o trânsito é mais intenso e por aí vai…
Com o tempo você vai começar a dirigir mais tranquila. Mas acho a sua grande questão é se permitir errar, aprender a lidar com esses erros e não criar expectativas muito altas sobre como você deveria estar dirigindo (porque, convenhamos, a maioria dos motoristas que se envolvem em acidentes, são aqueles com excesso de confiança em sua habilidade de dirigir).
Fica tranquila, vai dar tudo certo!

Bia Munstein

27 de Abril de 2016 - 10:41

ótimos conselhos! muito obrigada 🙂 estou tentando me cobrar menos.. bjos

"Dedico o trabalho neste blog, assim como toda a minha vida, ao nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, que vive e Reina para todo o sempre. Amém!"