Categorias: cabelos, Pergunta da semana Por Bia Munstein

Sempre que eu posto algum tratamento envolvendo acidificante surgem várias dúvidas sobre sua utilização! Acidificante é uma coisa relativamente nova para nós consumidoras e pra ser sincera quando usei a primeira vez eu também não tinha muita noção de tudo.

Hoje, com pelos menos 3 anos de uso, aprendi bastante coisa sobre este item indispensável para cabelos danificados e vou dividir tudo com vocês nesse post.

Bora?

O que é acidificante? é um creme com enxague, semelhante a um condicionador, que você aplica nos fios e enxágua depois de uns 2-3 minutos com o intuito de selar as cutículas dos fios por meio de equilíbrio do Ph.

Pra que serve? O acidificante serve basicamente para “acidificar” o cabelo, falando mais precisamente, reduzir seu PH. Entenda: nosso cabelo tem Ph em torno de 5,5 que já é um Ph ácido (menos que 7 é ácido, 7 é neutro e maior que 7 é alcalino), mas quando fazemos químicas elas elevam o Ph do cabelo, para que as escamas se abram e elas possam penetrar – um alisamente tem Ph por volta de 13!!-. Só que cabelo com Ph alcalino/alto é igual cabelo com escamas abertas, e cabelos com escamas abertas perdem seus nutrientes e não conseguem reter nenhum tratamento. É onde entra o acidificante, regulando esse Ph, fazendo ele voltar a ser ácido e com isso fechando/alinhando as cutículas. Os acidificantes normalmente tem Ph menor que 3.

fio

Como usar: finalmente vamos a parte mais polêmica que é como usar o tal acidificante! Antes da máscara? Depois da máscara? Antes e depois?

Quando eu comecei usar acidificante me parecia muito lógico que seu uso devia ser feito no final de tudo, afinal ele serveria para selar as cutículas, logo no final parecia o mais correto. Como o cabelo vai receber o tratamento com as cutículas seladas, certo? ERRADO!  Nem tudo que parece certo na teoria funciona na prática.

O acidificante deve ser aplicado antes da máscara, logo após o shampoo! Desse modo ele age fechando as cutículas, deixando o fio similar a um cabelo saudável, e quando for introduzido o tratamento ele não vai escorrer pia a baixo como aconteceria num cabelo com as cutículas abertas.

Mas você ainda não esta convencida, achando que o cabelo vai estar selado e o tratamento não vai penetrar, correto? Veja bem: o termo “selar as cutículas” é meio exagerado, as cutículas se alinham para baixo, se mantendo juntinhas e fechadinhas, mas elas não estão seladas, estão fechadas! O tratamento penetra normalmente, caso contrário somente cabelos muito danificados, com as cutículas abertas, poderiam receber tratamento. Em qualquer outro cabelo mais saudável, com as cutículas fechadas, esse tratamento não penetraria. Entende? E se te convence ainda mais um dos protocolos de tratamento mais antigos com acidificante –que é com o kit K-Pak da Joico– usa o acidificante antes de máscara.

Dito isto ficamos combinadas que o mais correto é aplicar o acidificante ANTES da máscara de tratamento (mais precisamente a de reconstrução, que é com que o acidificante mais combina), mas isso não quer dizer que você não possa aplicar mais um pouco de acidificante depois de tudo pra dar aquele toque final. Nesse caso nem necessita deixar agir, só aplicar e remover.

De quanto em quanto tempo usar? Essa parte é mais complexa porque varia muito do estado do cabelo! Veja só: um cabelo elástico, poroso, que acabou de passar por uma descoloração e esta praticamente desmanchando, precisa de mais acidificante que os outros (assim com de reconstrução). Então essa pessoa vai fazer muitas reconstruções e pode usar o acidificante em todas elas. Isso no início! Não devendo ultrapassar uma vez na semana.

Já cabelos danificados tipo os meus, agradecem seu uso a cada 15 dias. Cabelos levemente danificados a cada 30 dias. Aí vai do bom senso e experiência de uso de cada um, afinal cada cabelo tem sua particularidade e vontade própria.

Qual acidificante eu uso e indico? Quem é leitora do blog já sabe, mas caso você esteja chegando agora por essa bandas um que já uso há muito tempo e gosto muito é o Ph Balancer da K.Pro. Seu efeito é ótimo, dura uma vida e tem um preço incrível (tem pra vender aqui). (minha embalagem é antiga)

 

Dúvidas tiradas? Qualquer coisa só dizer nos comentários! 😉

Artigos Relacionados

Categorias: cabelos, nutrição, Pergunta da semana Por Bia Munstein

Uma das melhores coisas que você pode fazer por um cabelo ressecado é uma umectação semanal com óleo 100% vegetal como já ensinei aqui no blog, mas a dúvida que sempre surge é qual óleo usar uma vez que nem sempre encontramos muita variedade por aí. Daí que me surgiu a ideia para o post de hoje contando pra vocês quais os melhores óleos que já usei no meu cabelo e como cada um age nos fios.

Vamos conferir?

Lembrando que a umectação é o ato de nutrir os fios com óleo 100% natural, mais conhecido como óleo vegetal. Os óleos vendidos em farmácias, aromatizados, são compostos em grande parte por óleo mineral e por tanto não servem para umectação –aqui você confere o post explicando como fazer-, as os óleos usados como ingredientes de máscara contribuem também para nutrição dos fios.

cabelos

Óleo de coco: acho que não poderia deixar de começar por ele! É um dos meus preferidos por ser tão completo e também por ser mais fácil de encontrar. O óleo de coco além de nutrir altamente os fios também fornece muito brilho. E não importa a forma que ele é vendido, alguns vem pastosos -só aquecer levemente que fica líquido- outros são vendidos como auxiliares no emagrecimento, desde que seja 100% vegetal, ou seja, óleo de coco puro, pode ser usado para umectação, e isso serve para todos os outros óleos.

Óleo de argan: rico em oxidantes faz bem não só para os cabelo como para a pele. Vamos nos ater aos benefícios para os fios que são o tema do post. Nos cabelos ele trás ação regeneradora, aumenta o brilho, a resistência e a sedosidade. Para umectação deve ser usado puro -o que é difícil de encontrar- mas está presente em vários cosméticos como a famosa linha Moroccanoil.

Óleo de marula: de origem africana é utilizado há tempos para manter cabelos, pele e unhas bem cuidados. Tem altos níveis de antioxidantes -como Vitamina C, Vitamina E e aminoácidos essenciais- é muito utilizado em cosméticos de luxo, principalmente para os cabelos. Já testei alguns produtos da Schwarzkopf que tem ele como ingrediente chave: Oil Miracle  e Fibre Force são dois exemplos.

Castanha do pará: foi um dos primeiros óleos que usei para umectar meus fios. A castanha do pará é brasileira então não é um óleo caro nem difícil de achar. Excelente umectante, ele é ótimo para conservar a hidratação dos fios.

Germem de trigo: outro óleo excelente e fácil de encontrar! Princípios ativos derivados do trigo são seguramente um dos ingredientes mais usados em produtos de cabelo. (será que afeta quem tem intolerância? Espero que não rs). São conhecidos pelo seus benefícios aos fios e com o óleo não é diferente. Possui vitamina E, B1, e substâncias como potássio, ferro,  proteínas.

Óleo de rícino: já dediquei um post inteiro sobre ele aqui no blog. Seu uso contínuo promete encorpar cabelo finos, ajudar nos crescimento e fortalecimento do cabelo. Não é meu óleo preferido para umectação porque é um óleo pesado e um pouco difícil de tirar, mas tem ótimos resultados.

c3b3leo-vegetal-1

Pra finalizar preciso ressaltar que todo óleo age formando uma barreira nos fios impedindo que a água evapore com facilidade, garantindo assim um aspecto naturalmente hidratado aos fios, além das propriedades que cada um apresenta.

Como falei no início do post a umectação só deve ser feita com óleo puro, 100% vegetal, mas produtos que contém esses óleos na composição são excelentes aliados na etapa de nutrição dos fios ou no caso de máscaras reconstrutoras ajudam dar mais emoliência e sedosidade, impedindo que o cabelo fique rígido ou áspero, gerando um equilíbrio entre reposição de massa e hidratação.

 

Artigos Relacionados

Muitas meninas chegam aqui no blog pela primeira vez e não fazem ideia do que estou falando quando me refiro a reconstrução, nutrição e hidratação. Imagino a cara delas pensando: “como, que, quando?”

Então resolvi fazer esse post esclarecendo de uma vez por todas o que é, pra que serve e como se faz as tão faladas hidratações, nutrições e reconstruções (também conhecido como cronograma capilar)!

(lembrando que já fiz um post aqui ajudando identificar se uma máscara é hidratante, nutritiva ou reconstrutora)

 

Vamos aprender?

hidratacao nutricao reconstrcao

Reconstrução:

Tratamento imprescindível para cabelos danificados, muito danificados e para quem faz química, pois ajuda repor tudo que o cabelo perdeu no processo (massa, queratina, proteínas, etc). Como o nome diz são produtos reconstrutores e costumam conter algum tipo de queratina na fórmula. Cauterização também é uma forma de reconstrução, mas não confunda “selagem” e “botox”, que na maioria das vezes são escovas progressivas, com tratamento. (embora haja realmente botox capilar somente de tratamento, mas se certifique bem que ele não alise)

A máscara reconstrutora é facilmente identificada no nome, vem escrito deep repair, repair, reparação, reconstrução, etc. Pode-se observar também os ingredientes e a descrição do produto que ajudam muito.

A reconstrução deve ser feita de acordo com a necessidade do cabelo, mas gosto sempre de intercalar seu uso com uma hidratante ou nutritiva pra não deixar o cabelo áspero. Exemplo: lavo duas vezes na semana, em uma lavagem faço reconstrução na outra faço nutrição. Isso quando retoco as luzes/química porque o cabelo esta muito danificado, depois começo usar somente a cada 15 dias. Minhas preferidas estão aqui e aqui você confere as resenhas de máscaras de reconstrução que já fiz.

—————————————–

Nutrição:

São máscaras a base de óleos 100% vegetais (naturais). Algum óleo é a estrela dessa máscara e provavelmente vai estar logo no rótulo ou no início dos ingredientes. Pode ser manteiga de karité ou tutano de boi também. Devolve os lipídios para cabelos ressecados e muito ressecados. Tem máscaras a base de óleo de oliva, óleo de côco, argan etc… São mais “pesadas” e fortes do que as de hidratação. A nutrição também pode ser substituída por umectação que já ensinei aqui como faz. A frequência de uso também depende do estado do cabelo. Cabelos muito ressecados até duas vezes na semana, cabelos secos uma vez por semana. Aqui você confere as resenhas de máscaras de nutrição que já fiz.

—————————————–

Hidratação:

É um tratamento que serve para repor a água perdida dos fios. Normalmente são produtos mais básicos, que todo cabelo pode usar, indicados especialmente para cabelos secos, mas os normais também podem se beneficiar. Hidratação é uma coisa que todo cabelo deve fazer! Os produtos contém óleos (em menor quantidade que as nutritivas) vitaminas, d-pantenol, aloe vera, etc. A hidratação é pra quem está com cabelos secos, sem brilho, sedosidade, etc! Aqui você confere as resenhas de máscaras de hidratação que já fiz.

Eu indico que você tenha pelo menos uma de cada categoria! Aí você pode montar seu cronograma capilar, intercalando o uso delas. Se seu cabelo está muito danificado indico que faça o uso delas como ensinei aqui no Plano intensivo de recuperação capilar.

 

Esse post pertence ao uma série de post chamados “pergunta da semana” que faço há anos e com certeza já respondi quase tudo sobre cabelos através dele! Vale a pena conferir as outras clicando aqui.

 

Gostaram? Espero que dê pra tirar as dúvidas de muita gente 🙂

 

Artigos Relacionados

"Dedico o trabalho neste blog, assim como toda a minha vida ao nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, que vive e Reina para todo o sempre. Amém!"