Categorias: Culinária, Sem gluten Por Bia Munstein

Bolo de milho sem gluten, light e delicioso

Conforme prometi que faria hoje vou deixar pra vocês mais uma receita sem glúten pro café da manhã e lanche da tarde.

Quando percebi que sempre que comia gluten me sentia muito mal uma das primeiras coisas que lamentei foi meu café da manhã… fiquei muito  triste e me bateu aquilo de “o que eu vou comer no café da manhã” mas em pouco tempo descobri tanta coisa legal que nem tenho tido mais vontade de comer os outros com trigo .

Uma coisa que uma leitora me falou e é totalmente verdade é que logo você percebe que mais vale se sentir bem do que comer. Pronto!

Mas vamos a receita?

Esse bolo de milho é simplesmente delicioso e todos podem comer, não é bolo só pra quem tem intolerância a glúten, de verdade mesmo. A receita original é da Chef Carla Serrano. Eu fiz algumas subtituições e troquei o açúcar por açúcar magro -açúcar light- que adoça 5 vezes mais, só que dá um gostinho de adoçante, ou seja, só pra quem já esta acostumado 😉

Bolo de milho sem gluten, light e delicioso Bolo de milho sem gluten, light e delicioso

Bolo de milho sem glúten

Ingredientes:
3 ovos
1 xícara de leite
1 caixa de creme de leite/ou leite de côco
1 lata de milho verde sem a água
2 colheres de sopa bem rasas de açúcar light ou 1 xícara e 1/2 de açúcar comum
1 xícara de fubá
1/2 xícara de maisena
1 colher de sopa de fermento pra bolo em pó (pó royal)

Modo de fazer:
Bata todos os ingredientes no liquidificador, colocando primeiros os líquidos depois os secos. O fermento por ultimo depois que tudo já estiver batido, só para misturar. Asse em uma forma untada e polvilhada com fubá ou como eu fiz, numa forma de silicone que não precisa untar (20 reais super bem gastos!).

O tempo de forno varia muito, o meu assei em fogo alto por 40 minutos, mas espetou a faca saiu seco ta bom. (a faca sai úmida, mas sem massa)

A massa fica meio líquida mesmo, e cheia de pedacinhos de milho. O bolo não cresce muito (pelo menos o meu não) mas fica muito bom! Macio e úmido assim como mostra a foto.

Artigos Relacionados

Categorias: Culinária Por Bia Munstein

Essa coisa de glúten ta se tornando tão comum, né gente? Dizem que uma grande parte da população tem alguma intolerância, mesmo que leve, ao glúten, e que ela pode se manifestar em alguma fase da vida. Infelizmente parece que a minha fase chegou…

Pra quem não sabe o glúten é uma proteína presente no trigo, cevada e aveia, então todo alimento que contenha alguma dessas substâncias, ou até mesmo traços dela, faz mal a quem é intolerante. Os sintomas são vários, porém o mais aparentes são diarreia, gases e dores abdominais.

Mas a intolerância vai além de uma simples dor de barriga, a pessoa que não pode consumir e consome deixa de absorver os nutrientes necessários e pode ter desde anemia até danos neurológicos, isso porque o organismo fica sensibilizado e mais defensivo do que deveria. Mais complicado do que parece…

Minha história começou em janeiro desde ano, não sei bem ao certo, mas foi quando comecei a perceber os sintomas que me incomodavam muito! Sempre que eu comia alguma coisa com glúten, especialmente pão, bolo e massas em geral, minha barriga inchava, tinha tandos gases (ai que vergonha rs) que poderia tomar um vidro de luftal que não resolvia! A barriga ficava dura e distendida, e claro que doía e incomodava bastante. Até pra dormir era ruim é chegava ao ponto de ficar com dificuldade de respirar.

Na realidade sinto tudo isso até hoje, é só consumir qualquer alimento a base de trigo.

Mas to contando isso pra vocês porque?

Porque aparentemente isso vai fazer parte da minha vida daqui em diante e quero começar a colocar minhas receitas sem glúten aqui no blog. A internet, graças a Deus, é bem variada e temos muitas opções de receitas pra quem é intolerante a glúten.

E até que to me virando bem! Só o pão que é um pouco mais difícil pra mim, mas tenho fé que ainda acho uma receita bacana. rs

Pra começar vou colocar aqui uma receita de torta salgada de liquidificador que eu e meu marido amamos! Fica super leve e gostosa.

 receita de torta salgada sem glutenReceita de Torta Salgada de liquidificador sem glúten

1 xícara  de farinha de arroz
1/2 xícara de polvilho azedo
1 colher de sopa de fermento em pó (pó royal)
1 xícara  de água
1 colher de chá de sal
1/2 colher de sopa de açúcar
1/2 xícara de óleo de milho (pode ser de soja)
3 ovos

Bate tudo no liquidificador, colocando o fermento por ultimo.

O recheio pode ser da sua preferencia! Nesse dia eu tinha frango cozido e desfiado na geladeira, aí só misturei com duas colheres de requeijão mais uma cebola picada e usei de recheio. No caso do recheio de frango ou carne só não deixe com molho pra não “abatumar” a massa. De próxima vez quero fazer com queijo, presunto e orégano pra ficar tipo uma pizza. 🙂

A montagem é assim:

Coloque metade da massa num refratário untado com óleo e farinha de arroz, depois ponha todo o recheio no meio e o restante da massa por cima. Aí se quiser pode polvilhar com queijo ralado, eu não tinha nesse dia.

Asse em temperatura alta por uns 40-50 minutos, dependendo do forno.

Fica uma delícia e não da gosto de fermento como quando a gente faz com trigo!

Esses ingredientes como farinha de arroz são encontrados no Mundo Verde e nesses casas de produtos mais naturais. Se quiser que a receita também seja sem lactose  é só não usar o requeijão.

 

Pra quem quiser outra receita maravilhosa sem glúten eu já ensinei o waffle de pão de queijo aqui. É meu café da manhã preferido! Alias preciso invetar opções pro meu amado “café colonial” hehe

 

*há um ótimo texto sobre intolerância ao glúten ou doença celíaca aqui.

Artigos Relacionados

Categorias: Culinária, Produtos Testados Por Bia Munstein

Resenha: AirFry saúde Britânia/ fritadeira sem óleo

Eu comprei essa fritadeira sem óleo da Britânia tem quase dois meses e hoje vim contar pra vocês o que achei dela. De inicio preciso dizer que relutei muito antes de compras mais um equipamento culinário porque achei que seria mais um pra ficar jogando no canto. Dois meses ainda é cedo pra afirmar que isso vai acontecer mas com certeza a frequência e uso já deu uma caída hehe

Já fiz bastante coisas nela e posso dizer que tem mais contras do que prós analisando o termo “fritadeira sem óleo” de modo geral, mas vou detalhar essa parte e também falarei da qualidade desse equipamento que comprei.

A minha custou  399 reais na promoção, agora esta 539, tem aqui.

Vamos falar primeiro do equipamento da Britânia:

Resenha: AirFry saúde Britânia/ fritadeira sem óleo

É bonitinha, eu apelidei a minha de “balofinha” quando chegou. Tenho alguns produtos Britânia e gosto mas a marca deixou a desejar em qualidade nessa AirFry Saúde.

Primeiro veio um maldito adesivo ENORME colado na frente e foi quase impossível retirar, ficou cheio de cola grudada um bom tempo e só quando me deram a dica de usar lustra móveis ou óleo de cozinha eu consegui remover. (fui intercalando os dois pra garantir haha então não sei qual funciona melhor)

Passado essa chatice que me deixou muito irritada veio a parte do antiaderente da cestinha que saiu com muita facilidade. Tem dois meses de uso e já está todo descascado. Outro ponto ruim desse cestinha é que: “aloou, Britânia?? Essa grade gruda tudo! De que adianta fazer a cesta antiaderente e por essa grade áspera ??” enfim.. vai entender… Tem coisa que gruda mesmo e fica os pedacinho lá dentro, é um parto na hora de limpar quando isso acontece. Tem que deixar de molho.

Falando na limpeza as duas partes que soltam você lava normal dentro da pia porque  não tem nada de elétrico. A outra parte -o corpo- só paninho úmido mesmo.

Sobre o gasto de energia: Usando umas duas vezes na semana aumentou uns 15 reais na minha conta.

FORA ISSO TUDO é um bom equipamento e funciona super bem! Nunca usei a original da Polishop mas imagino que não faça muito diferente das genéricas não.

Agora vamos falar de coisa boa? haha A comida, como fica? Bati algumas fotos om celular enquanto preparava e vou falar individualmente o que ache de cada prato, mas lá no meu Instagram (@BiaMunstein) sempre posto o que faço com ela.

costelinha de porco com batata n airfry

Costelinha de porco: de um modo geral tudo que tem gordura fica ótimo na fritadeira sem óleo. Porque não tem jeito meu povo, precisa dela pro alimento ficar suculento! O que não tiver óleo vai ficar seco. Ponto. Voltando a costelinha ela fica ótima, muito dourada, com casquinha crocante e parte dessa gordurada escorre pro fundo do recipiente. Mas demora! Cerca de 30-35 minutos na potência mais alta -220 graus- e tem que abrir umas 2-3 vezes pra virar e dourar por igual. Coxa e sobrecoxa e drumet também ficam ótimos! (assim como tudo que tem sua própria gordura, só bife que não gostei muito)

 

coxinha na airfrySalgadinho: Aquele povo comendo no comercial do Polishop falando que é igual o frito é tudo mentiroso. Fica seco! Repetindo: FICA SECO! Dá pra comer mas que fica gostoso não fica, ta assado não ta frito. E não doura. Se deixar dourar mais vai ficando cada vez mais seco. Eu coloco congelado pra ajudar ficar menos seco e deixo uns 15 minutos na potência alta.

batata frita na aifry

Batata frita: aqui temos duas possibilidades: a batata pré-frita que a gente compra congelada fica ótima! Sequinha, crocante e dourada. Mas isso porque ela já foi frita antes, ou seja, tem óleo! Assim mesmo tem que ser de boa marca tá? Senão não fica tão boa. tempo de preparo 10-15 minutos potência mais alta.

Já a batata crua não fica lá grandes coisas, mesmo colocando a colherinha de azeite que ele pedem. Não é horrível, mas não espere o mesmo prazer de comer ela frita. Com ela crua eu prefiro fazer em cubos grandes, passar num bom tempero (sal, azeite, ervas secas, etc) e aí sim colocar na airfry. O tempo de preparo é de uns 20 minutos, 10 em potência média -160 graus- e 10 em potência alta pra não queimar.

 

pão de queijo na airfryPão de queijo: esse eu tiro o chapéu! Fica melhor que no forno e pronto em menos da metade do tempo. Muito bom mesmo! Você pega o bichinho lá congelado, arruma dentro da Airfry e coloca 15 minutos potência alta. Pronto e delicioso! Fica douradinho por fora e puxa-puxa por dentro. Quando eu quero ele mais firme por dentro eu coloco 20 minutos (10 em 160 e 10 em 220 graus) Se quiser mais clarinho é só deixar o tempo todo na potência mais baixa.

Resumindo: Depois da minha experiência de uso posso dizer que compraria uma fritadeira sem óleo sim, mas não essa da Britânia acho que me arriscaria na da Mondial que parece ser bem melhor (essa aqui) e ainda tem a cestinha toda antiaderente e sem essa grade bendita.

Adorei fazer essa resenha, vocês gostaram? Acho que agora vou fazer da máquina de pão 🙂

Artigos Relacionados

"Dedico o trabalho neste blog, assim como toda a minha vida ao nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, que vive e Reina para todo o sempre. Amém!"